David Mendes

A história? A história muda a cada objeto desenterrado?
Siga-me

Possessão



By  David Mendes     23:42    Marcadores: 
Nem sempre o que recebemos da vida é o que buscamos nela. E, geralmente, é só no final de um conjunto de fases que percebemos o quanto cada passo dado foi necessário para o nosso progresso, não só pessoal, mas de forma geral.
Acredito ser verdadeiramente certo que, a mudança intelectual e espiritual, ou qualquer outro tipo de melhoria ou piora de uma sociedade, ocorre na iniciativa de apenas um indivíduo. E, é esse “um” indivíduo a ferramenta mais preciosa de Deus, pois, ele é utilizado para dar equilíbrio à muitas situações corriqueiras, não só em sua própria vida, mas para o todo.
Então, por mais que tentemos impor uma mudança na vizinhança, será em vão nossos maiores esforços. Cada um muda por si só. Praticar a mudança por ordens de outrem cria em nós uma personalidade artificial e, consequentemente, nossas vidas passam à carregar a mesma artificialidade na qual a transmitimos, da mesma forma que a recebemos, criando assim, um círculo vicioso na sociedade. Se vamos gastar energias, caprichemos em nós mesmos. E, consequentemente, seremos um belo modelo à ser copiado.
Todo defeito deve ser visto como um defeito sim, mas não interpretado como algo ruim. Somente observando nossos defeitos podemos consertá-los para sempre. E, se nos observarmos com maestria e devoção, como quando tentamos entender Deus em seu todo, a mudança será, sem sombra de dúvidas, alcançada, sentida, transmitida para as pessoas ao nosso redor e, retransmitidas às pessoas ao redor das pessoas ao nosso redor.
Por experiência, posso dizer que, mesmo encontrando nossos defeitos mais bobos, e os analisando, e os aceitando, é impossível dissolvê-los da noite para o dia. Não há uma fórmula mágica para a cura imediata, mas o tratamento existe como na maioria das doenças. Basta iniciá-lo.
Não é nada fácil arrancar da carne o que foi gravado com a dor. Mas, também, não é impossível de regravar por cima dessa mesma carne momentos especiais que transcendem toda e qualquer paz de espirito que julgamos conhecer. Alguém disse um dia: Com o amor pode-se tudo. Eu concordo mas, só consigo minuciar o sentido literal dessa frase virando minha cabeça para outras direções. Direções essas que, por atormentarem nossa alma, evitamos por instinto apreciá-las, largando mão de aprender mais profundamente com elas.
Costumeiramente, olhamos para belo porque é mais agradável aos olhos da nossa emoção; costumeiramente, trocamos o intelecto por sexo por ser mais confortável essa forma de amar; costumeiramente, aceitamos tantas coisas banais em nossas vidas só por causa da facilidade de controle que podemos exercer sobre elas que, deixamos de adquirir experiências com o nosso próprio controle emocional. Assim, costumeiramente, amamos demais os outros sem nunca ter sentido o verdadeiro amor por nós mesmos. E sem ter esse amor verdadeiro pulsando em nosso peito, o amor que entregamos à pessoa ao nosso lado é limitado. Sendo limitado, não pode ser amor, senão posse.


"David Mendes"
Curta e Compartilhe a Página Oficial do Autor David Mendes

Sobre o Autor David Mendes

O Escritor Místico nascido na cidade de São Paulo é Autor do Livro "Astral - Uma Viagem sem Volta", puplicado no verão de 2015 e prefaciado por Angie Stanley, Escritora, Psicóloga, Palestrante e ocupante da Cadeira de Número 1 da Academia de Letras Cora Coralina. David está prestes a publicar sua primeira trilogia, "A Loja", e, logo mais, sua Obra mais aguardada por seus leitores, "CID10 - O Diário de Uma Esquizofrênica". Leia a Biografia Completa do Autor.


Antes de sair gostaria de assinar meu Blog?

100% gratuito

atualizado

sem spam